Vamos conhecer a história e devoção à Santa Rita de Cássia

 

Santa Rita de Cássia, nascida em 1381 em Roccaporena na Itália, era filha única do casal Antônio Mancini e Amata Ferri que ensinaram a menina tudo o que sabiam sobre a fé e a vida de oração. Sendo assim, seus ensinamentos sobre santos e devoção a Nossa Senhora, muito contribuíram para o crescimento espiritual da menina.

Com o passar do tempo, Rita descobriu sua vocação para a vida religiosa. Contudo, foi forçada por seus pais a se casar com Paolo Ferdinando, que era um marido infiel e alcoólatra. Dentro desse relacionamento, a futura Santa sofreu durante 18 anos, período em que permaneceu muito paciente e persistente na oração para a conversão do marido. Após certo tempo, Paolo mudou seu estilo de vida bruscamente e as mulheres da cidade passaram a admirar a Rita e pedir conselhos a ela.

Embora verdadeiramente convertido, Paolo deixou muitos desentendimentos entre alguns grupos da cidade. Assim, um dia que saiu para trabalhar e não regressou, Santa Rita de Cássia teve a certeza de que algo horrível tinha acontecido. Seu marido fora assassinado.

Sendo assim, os dois filhos do casal juraram vingar a morte do pai, situação que ela suplicou a Deus que não deixasse acontecer. Logo os filhos ficaram muito doentes, mas, antes que morressem, a mãe os converteu ao amor de Deus e ao perdão.

Então, quando Santa Rita ficou sozinha, quis entrar para o convento das irmãs Agostinianas, como queria desde pequena. Porém, as irmãs não queriam aceitar a mulher visto que fora casada e tivera filhos.

Um dia, quando ela dormia, ouviu uma voz chamando-a: Rita, Rita, Rita… Ela levantou-se, abriu a porta e encontrou São Francisco, São Nicolau e São João Batista que a conduziram pelas ruas. Foi quando Rita entrou em êxtase. Quando voltou a si, estava dentro do mosteiro que estava com as portas trancadas. Então, as freiras, incrédulas com o ocorrido, permitiram que ela ficasse. Rita viveu ali por 40 anos.

A superiora do convento, duvidando da fé da mulher, mandou que ela regasse um pedaço de madeira seco do jardim durante um ano. Assim Rita o fez. Após o período determinado, um milagre aconteceu: o galho transformou-se em videira que dá uvas até hoje. Esse foi um dos milagres de Santa Rita de Cássia.

Em outra circunstância, ela, ao orar, pediu a Jesus Cristo que pudesse sentir um pouco das dores de sua crucificação. Assim, um dos espinhos da coroa de Jesus cravou-se na cabeça da Santa que pode sentir dor junto a Jesus. Esse espinho causou nela uma grande chaga que durou cerca de 15 anos, período em que ela permaneceu isolada das irmãs.

Por fim, no dia 22 de maio de 1457, o sino no convento começou a badalar sozinho, foi quando Rita de Cássia morreu, aos 76 anos. Sua ferida se fechou e seu corpo passou a exalar perfume de rosas. Uma das freiras doentes, ao abraçar o corpo da Santa em seu leito de morte, ficou curada. Até hoje o cheiro característico de seu corpo pode ser sentido pelos que visitam o local em que ela se encontra.

Imediatamente após sua morte, Santa Rita de Cássia já era venerada como protetora contra a peste, provavelmente pelo fato de ter se dedicado em vida ao cuidado dos enfermos de peste, sem contrair jamais a doença. Este foi o principal motivo pelo qual era começou a ser conhecida como a Santa das Causas Impossíveis.

Santa Rita de Cássia foi beatificada pelo Papa Urbano VIII no ano de 1627 e sua festa é comemorada todos os dias 22 de maio.

Oração a Santa Rita de Cássia

Ó Poderosa e Gloriosa Santa Rita de Cássia, eis, a vossos pés, uma alma desamparada que, necessitando de auxílio, a vós recorre com a doce esperança de ser atendida por vós que tem o título de Santa dos casos impossíveis e desesperados. Ó cara Santa, interessai-vos pela minha causa, intercedei junto a Deus para que me conceda a graça, de que tanto necessito, (fazer o pedido). Não permitais que tenha de me afastar de vossos pés sem ser atendido. Se houver em mim algum obstáculo que impeça de alcançar a graça que imploro, auxiliai-me para que o afaste. Envolvei o meu pedido em vossos preciosos méritos e apresentai-o a vosso celeste esposo, Jesus, em união com a vossa prece. Ó Santa Rita, eu ponho em vós toda a minha confiança. Por vosso intermédio, espero tranquilamente a graça que vos peço.

Santa Rita, advogada dos impossíveis, rogai por nós.

Por: Marina Silva Ferreira

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp