Milagre ocorrido no Brasil leva à beatificação de fundador dos Salvatorianos

Gisele Cardoso dos Santos com a filha, Lívia Maria, e o marido, Fernando Ferreira da Silva / Foto: Cortesia Gisele Cardoso

Em 2014, quando descobriu durante a gravidez que havia um problema que colocava em risco a sua vida e a de sua filha, Gisele Cardoso dos Santos não teve dúvidas e logo recorreu à intercessão de Padre Francisco Maria da Cruz Jordan; o milagre aconteceu, a pequena Lívia Maria nasceu saudável, a mãe ficou bem e agora, após reconhecimento por parte do Vaticano, o fundador dos Salvatorianos será beatificado no próximo dia 15 de maio.

O milagre pela intercessão de Pe. Jordan aconteceu em Jundiaí (SP), onde, no começo de 2014, Gisele e o marido Fernando Ferreira da Silva descobriram a gravidez. Porém, logo no início da gestação, a mãe teve um deslocamento do saco gestacional. Os exames mostraram também que a placenta estava mais espessa, o que impedia a passagem dos nutrientes necessários para o desenvolvimento do bebê, que não estava crescendo conforme o esperado.

Encaminhada para a realização de exames mais específicos, Gisele recebeu outra notícia: o feto estava com uma possível má-formação óssea, com displasia esquelética, ossos longos curtos e restrição de crescimento intrauterino. Além disso, havia a suspeita de que a mãe estivesse com tumor placentário.

Diante desse diagnóstico, “ficamos preocupados, tristes e choramos”, contaram Gisele e Fernando à ACI Digital. Entretanto, o casal, que faz parte da família salvatoriana, logo se apegou à fé e recorreu à intercessão de Pe. Jordan. Segundo Gisele, foi “algo espontâneo”.

“Assim que descobrimos, no carro comecei a chorar e disse: ‘Padre Jordan vai nos ajudar’”, recordou. Eles, então, seguiram para a casa da mãe dela e, “ao chegar, a primeira coisa que vimos em cima do murinho da cozinha foi um livrinho com a imagem de Padre Jordan e de Nossa Senhora”, lembrou Gisele, para quem, este foi um sinal.

Embora os exames seguintes confirmassem a má-formação, Lívia Maria nasceu saudável no dia 8 de setembro de 2014, dia da Natividade de Nossa Senhora e também da morte de Pe. Francisco Maria da Cruz Jordan.

“Jesus nos concedeu este milagre, através da intercessão de Padre Jordan e de Nossa Senhora. Apesar dos prognósticos dos médicos, nós acreditávamos, pedíamos, e muitos rezavam por nós”, relatou Gisele.

Quando perguntada sobre como a pequena Lívia está atualmente, a própria menina respondeu: “bem”. E Gisele completou, ressaltando que sua filha é “alegre, feliz, como uma criança de 6 anos, descobrindo-se”.

Após o nascimento de Lívia, Gisele e Fernando deram este testemunho no grupo de leigos de espiritualidade salvatoriana A Caminho do Salvador. Então, o diretor espiritual do grupo pediu que enviassem este relato para o vice-postulador da causa de beatificação de Pe. Jordan. Assim o casal fez e, em 11 de novembro de 2015 teve início o processo sob cuidados do bispo de Jundiaí, Dom Vicente Costa.

Durante este processo, foram coletados os laudos, exames médicos, depoimentos, toda uma documentação que foi lacrada e enviada para o Vaticano. E, em junho de 2020, o Papa Francisco autorizou a promulgação do decreto relativo ao milagre.

A cerimônia de beatificação de Padre Jordan acontecerá na Basílica de São João de Latrão, em Roma, às 10h30 (5h30, no horário de Brasília), e contará com a presença da família Cardoso Silva.

“Lívia disse que está feliz em estar em Roma, na beatificação. Para nós, é um momento único, não temos palavras para expressar nossa alegria, nos sentimos honrados e felizes”, expressou Gisele Cardoso e concluiu: “Nossa missão é evangelizar para que tudo seja para honra e glória de Deus”.

Fonte: ACI digital – www.acidigital.com

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp