História de São Tomé, apóstolo de Jesus

São Tomé, um dos 12 apóstolos de Jesus, foi um pescador judeu nascido na Galileia. Seu primeiro encontro com Jesus se deu nas margens do rio Tiberíades, quando o Mestre sugeriu que os futuros apóstolos jogassem as redes do lado direito da barca em que estavam e, ao fazerem, conseguiram pescaram grande quantidade de peixes (João 21: 2-6).

O Santo acompanhou Jesus durante os 3 anos de sua vida pública e, após sua morte, Tomé estava entre os apóstolos que receberam o Espírito Santo no dia de Pentecostes e acredita-se que depois saiu para pregar o Evangelho na Índia, onde foi perseguido e morto a mando do rei Milapura, na cidade de Madras. Historiadores acreditam que o apóstolo foi morto à flechadas.

Apesar de ter sido tão importante missionário, São Tomé foi o apóstolo que duvidou quando os outros disseram terem visto Jesus ressuscitado, alegando que queria ver a marca dos pregos nas mãos de Jesus, tocá-lo e colocar sua mão no lado Dele para, só então, acreditar. Sendo assim, em outra ocasião que estavam reunidos e Tomé estava com eles, Jesus entrou, ficou no meio e disse a Tomé: “Estenda aqui o seu dedo e veja as minhas mãos. Estenda a sua mão e toque o meu lado. Não seja incrédulo, mas tenha fé”. Tomé respondeu a Jesus: “Meu Senhor e meu Deus!” Jesus disse: “Você acreditou porque viu? Felizes os que acreditam sem ter visto.”

O Santo morreu no dia 21 de dezembro do ano 72 e sua data era celebrada no dia de seu falecimento. Entretanto, o dia de São Tomé é festejado pelos católicos em 3 de julho, desde 1925. Esta mudança ocorreu de forma a acomodar o Dia de São Pedro Canísio em 21 de dezembro.

São Tomé é considerado o padroeiro dos pedreiros, dos arquitetos e dos cegos.

Suas relíquias foram veneradas na Síria e depois levadas para o Ocidente e preservadas em Ortona, na Itália.

Além disso, no ano de 2004 um fato mexeu com toda a região da Síria. Em dezembro deste ano, um terrível tsunami a devastou totalmente. Porém, a Igreja de São Tomé onde se conversam suas relíquias, ficou intacta. Uma tradição local conta que São Tomé fincou um poste em frente ao local onde fica a igreja, afirmando que as águas do mar jamais ultrapassariam aquela marca. O poste se conserva até hoje e fica em frente do local onde, mais tarde, construiu-se a igreja dedicada a ele. Por causa disso, alguns sacerdotes hindus da região decidiram não mais perseguir os cristãos do local.

São Tomé, rogai por nós!

Basílica de São Tomé, na Índia

Por Marina Silva Ferreira

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp