História de Nossa Senhora do Rosário de Fátima

No dia 13 de maio, celebramos o dia de Nossa Senhora de Fátima. Nesse mesmo dia, em 1917, Ela fez sua primeira aparição aos três pastorinhos: Lucia, Francisco e Jacinta, em um local chamado “Cova de Iria”. Lúcia via, ouvia e falava com a aparição, Jacinta via e ouvia e Francisco apenas via-a, mas não a ouvia. Nessa época, o Papa Bento XV, em meio a Primeira Guerra Mundial, convocou todos os católicos para orar a fim de que Nossa Senhora trouxesse paz e calmaria para o momento que os assolava.

Da esquerda para a direita Lucia, Francisco e Jacinta

   Sendo assim, na pequena aldeia de Fátima, em Portugal, quando as três crianças que brincavam, pararam para rezar, avistaram um clarão, como um relâmpago. Então, decidiram se retirar, pois pensaram que ia chover. Entretanto, um segundo clarão, em cima de uma árvore, os chamou atenção. Nesse momento, avistaram Nossa Senhora, mais brilhante que o Sol, com um rosário em mãos, os tranquilizando para que não ficassem assustados. Essa foi a primeira aparição de Nossa Senhora de Fátima.

Depois disso, Ela pediu para que eles voltassem ao local todos os dias 13, durante seis meses seguidos, e ressaltou que eles rezassem o Santo Terço a fim de alcançar a paz e o fim da guerra. Assim o fizeram, durante os meses que sucederam, contemplando todos os meses seguintes as aparições de Nossa Senhora de Fátima.

Na segunda aparição, junto dos pastorinhos, cerca de 50 pessoas compareceram ao local curiosas pelos relatos que ouviram, porém ninguém via o que as crianças viam e ouviam apenas zumbidos, então desconfiavam da veracidade do que fora retratado por eles. Neste dia, Nossa Senhora comunicou à Lúcia que Jesus queria estabelecer no mundo a devoção ao seu Imaculado Coração. Além disso, à frente da palma da mão direita de Nossa Senhora estava um coração cercado e cravado de espinhos. Dessa forma, compreendemos que os espinhos são os pecados humanos que feriram Seu coração, tornando necessário o arrependimento para a reparação desses.

Na terceira aparição, além de uma promessa de milagre de Nossa Senhora para que a multidão acreditasse neles, foi revelado às crianças um segredo constituído de três partes, sendo elas a visão do inferno, a devoção ao Imaculado Coração e o atentado ao Papa. Na primeira parte, Nossa Senhora mostrou-lhes um grande mar de fogo embaixo da terra, com demônios e almas flutuando nas labaredas, com gritos e gemidos de dor e desespero. Na segunda parte, Nossa Senhora disse a eles que Seu Imaculado Coração seria o refúgio e o caminho que os conduziria a Deus. A partir disso, é infundido em nós o amor e a preocupação para com o Coração Imaculado de Maria. Na terceira parte, foi mostrado o Santo Padre, o Papa, sendo morto, junto de Bispos, Sacerdotes e religiosos, aos pés de uma grande Cruz por um grupo de soldados. Em cima da Cruz, dois anjos regavam, com o sangue jorrado, as almas que se aproximavam de Deus.

Na quarta aparição, os pastorinhos foram capturados e mantidos em cativeiro para que contassem o segredo da terceira aparição. Contudo, ao serem liberados sem terem relevado o que lhes fora confiado, Nossa Senhora apareceu a eles, no dia 19 de agosto, e pediu-lhes que continuassem rezando e fazendo sacrifícios pelos pecadores. Além disso, pediu para que eles fizessem dois andores e juntassem dinheiro para a festa de Nossa Senhora do Rosário e para a construção de uma capela.

Na quinta aparição, muitas pessoas viram diferenças atmosféricas no momento de aparição de Nossa Senhora aos pastorinhos, como uma espécie de chuva de pétalas coloridas ou flocos de neve que desapareciam antes de pousarem na terra. Ademais, nesse dia Ela pediu-lhes que continuassem a rezar o terço e comunicou-lhes que no mês de Outubro, Nosso Senhor, Nossa Senhora das Dores e do Carmo, São José com o Menino Jesus, também viriam para abençoar o Mundo.

Na sexta aparição, os pastorinhos haviam revelado a população que a Virgem Maria faria um milagre para que todos acreditassem. Então, no dia 13 de Outubro, aproximadamente 50 mil pessoas estavam reunidas na “Cova de Iria” aguardando as crianças. Chovia muito quando eles começaram a rezar o terço com a multidão, esperando a aparição de Nossa Senhora. Então, quando Ela apareceu, revelou ser a Senhora do Rosário e pediu para que construíssem a capela em sua honra. Disse também que a guerra acabaria e que os militares voltariam para casa. Pediu que não ofendessem mais a Deus que já estava muito ofendido e que pedissem perdão pelos pecados cometidos. Quando Ela se retirou, as crianças viram, ao lado do Sol, a Sagrada Família, São José com o Menino Jesus e Nossa Senhora vestida de branco, que pareciam abençoar o mundo. Pouco depois, Lúcia relata ter visto Jesus com muita dor a caminho do calvário e Nossa Senhora das Dores ao seu lado. Os pastorinhos viram também Nossa Senhora, em forma semelhante a Nossa Senhora do Carmo, com o Menino Jesus no colo.

Enquanto eles tinham essas visões, a multidão foi agraciada com o chamado Milagre do Sol. Nesse momento, a chuva cessou, o Sol brilhou e podiam olhar para ele sem cegar. A imensa bola começou a girar como uma roda de fogo, deslizou no céu irradiando chamas vermelhas, tremeu, e começou a ziguezaguear sobre a multidão. Tudo durou cerca de dez minutos. Finalmente, o Sol voltou para o seu lugar. Esse cenário foi testemunhado por milhares de pessoas.

Fora essas aparições, Nossa Senhora de Fátima se revelou outras vezes em particular aos pastorinhos e permitiu-lhes terem visões sobre inúmeros acontecimentos e situações.

O local da primeira aparição de Nossa Senhora de Fátima foi transformado em um Santuário, onde ocorrem peregrinações. Contudo, em 2020, devido à pandemia do novo coronavírus, o 13 de maio foi comemorado em Fátima sem peregrinos. Mas, assim como o cenário que nos assola, foi devido a uma pandemia de Gripe Espanhola que, há aproximadamente um século, morreram 2 dos pastorinhos, Francisco e Jacinta. O processo de beatificação deles foi feito no ano 2000, pelo Papa João Paulo, e, em 2017, o Papa Francisco visitou o Santuário de Fátima e canonizou os dois pastorinhos beatos. Eles são os mais jovens santos, não mártires, na história da Igreja Católica.

Santuário em Fátima, Portugal

   Já Lucia, escolhida desde o início para ser a divulgadora da mensagem de Fátima e da devoção ao Imaculado Coração de Maria, deixou numerosos escritos antes de sua morte em 2005, com 97 anos. Foi sepultada no Carmelo de Santa Teresa, em Coimbra, e, em 2008, foi autorizada a antecipação de seu processo de beatificação.

Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!

 

Por Marina Silva Ferreira

 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp