Bispo missionário em Moçambique é nomeado para a Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

O Papa Francisco nomeou nesta quinta-feira, 11 de fevereiro, Dom Luiz Fernando Lisboa como Bispo da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim (ES), com a dignidade de Arcebispo; até então, ele era Bispo de Pemba, em Moçambique, onde enfrentou uma situação marcada por guerra e crises.

A Diocese de Cachoeiro de Itapemirim estava vacante desde novembro de 2018, quando Dom Dário Campos foi nomeado Arcebispo de Vitória (ES).

Ao nomear Dom Luiz Fernando Lisboa como Bispo de Cachoeiro de Itapemirim, o Papa Francisco também lhe atribuiu o título de Arcebispo ad personam, que se trata de um título honorífico pessoal a modo de distinção concedido a alguns bispos. Não tem jurisdição ordinária sobre uma arquidiocese.

Dom Luiz Fernando Lisboa nasceu em 23 de dezembro de 1955, em Valença (RJ). Estudou Filosofia, em Curitiba, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1977-1980) e Teologia no Instituto Teológico São Paulo-ITESP (1980-1984). Especializou-se em Missiologia e em Liturgia na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo.

Fez a sua profissão religiosa na Congregação da Paixão de Jesus Cristo (Passionistas) em 23de janeiro de 1977 e recebeu a ordenação sacerdotal em 10 de dezembro de 1983.

Em sua Congregação, no Brasil, serviu como diretor do Seminário Menor e dos estudantes de Teologia, vigário paroquial, pároco, superior local, ecônomo, vice-mestre de noviços e assessor para a formação.

Em 2001, foi enviado como missionário para a Diocese de Pemba, em Moçambique, onde atuou como vigário paroquial, pároco e formador no Seminário Passionista.

Regressou ao Brasil em 2010 e, no ano seguinte, foi nomeado pároco de Santa Teresinha de Lisieux, em Colombo, na Arquidiocese de Curitiba.

Em 12 de junho de 2013, foi nomeado Bispo de Pemba, em Moçambique, e recebeu a ordenação episcopal em 24 de agosto do mesmo ano.

Em 2018, foi secretário-geral da Conferência Episcopal de Moçambique e coordenador do Departamento Social da mesma conferência.

Em sua carta de saudação a Dom Luiz Fernando Lisboa, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) enalteceu “a sua presença missionária como bispo em Pemba, diocese situada numa região marcada pela guerra que já causou a morte de mais de 2 mil pessoas e mais de 500 mil deslocamentos. Especialmente em Cabo Delgado, alvo constante de ataques”.

A região de Cabo Delgado vem sofrendo com a perseguição de grupos armados, que tiveram início em 2017. Grupos extremistas ligados ao Estado Islâmico (ISIS) têm reivindicado os ataques.

Ao falar durante uma reunião do Parlamento Europeu no dia 3 de dezembro, Dom Lisboa apresentou a situação de urgência humanitária vivida em Moçambique. “É uma tragédia humana, é uma crise humanitária muito forte porque as pessoas, a maioria, saíram [de suas casas] deixando tudo para trás”, disse o Prelado.

Diante dessa situação indicou que a população tem muitas necessidades. “Não param de chegar pessoas em vários distritos e nós estamos tentando atender as necessidades mais básicas, que é a alimentação, água, roupas, esteiras, cobertores, arranjar um lugar para ficar”.

Em agosto de 2020, o Papa Francisco telefonou para Dom Luiz Fernando Lisboa para lhe expressar sua “proximidade”, bem como “ao povo da região de Cabo Delgado”.

Na ocasião, o Prelado contou que o Pontífice tem acompanhado os acontecimentos na província “com grande preocupação e que está constantemente rezando” por esse povo.

“O Santo Padre também me disse que se houvesse algo mais que ele pudesse fazer, não devemos hesitar em pedir-lhe. Ele está pronto a caminhar conosco”, contou.

Fonte: ACI Digital – https://www.acidigital.com/

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp